NOTÍCIAS

Buscar
  • redação CIVI-CO

Atualizado: 26 de Nov de 2019


No dia 21 de novembro o CIVI-CO vai completar 2 anos de vida! Para comemorar a data, criamos uma série de ações e eventos que traduzem bem o propósito do polo de impacto cívico social. E, você, claro, é nosso convidado!


13/11 - Lançamento da Pesquisa “Fake News – A força da (des)informação na rede

09h às 12h - CIVI-CO Hall Inscreva-se para participar.

Vamos debater sobre como o hábito de consumir informação falsa interfere na vida das pessoas e em suas decisões. Com Mind Miners, Muda Tudo, A Ponte, Papo Reto




19/11 - DIA 19 – Dia Internacional do Empreendedorismo Feminino

16H às 17H30 - Rooftop

Bate-papo com as Mulheres do Café sobre o impacto social de ser uma empreendedora. O evento faz parte de uma série de conversas promovidas pelas empreendedoras em polos de tecnologia, inovação e impacto social como comemoração da semana em que comemoramos o Dia Internacional do Empreendedorismo Feminino.


22/11 - Bate-papo com Ferréz

11h às 12h - CIVI-CO Hall

O escritor Ferréz fala da união entre literatura e empreendedorismo em sua carreira como autor, editor e empreendedor social.


22/11 - E-galáxia entrevista Heloísa Buarque de Holanda

14h às 15h - CIVI-CO Hall - Inscreva-se para participar.

A escritora Heloísa Buarque de Holanda conversa com Tiago Ferro, cofundador da editora e-galáxia A entrevista abordará temas como o conceito de literatura marginal brasileira, surgido nos anos de 19701, e o impacto da era digital no mercado editorial.


22/11 - Bate-papo com Edson Natale

15h - 16h- CIVI-CO HALL

Paula Carvalho entrevista Edson Natale, professor na Casa do Saber, gerente do Núcleo de Música do Itaú Cultural, músico, escritor e jornalista.


22/11 - CINE CIVI-CO: A dor dos Outros

16h às 18h - CIVI-CO Hall Inscreva-se para participar.

A Campanha Repense apresenta o curta metragem A Dor dos Outros, filme que conta como o carioca Otto Bohm descobriu na cannabis uma última esperança de tratamento para as intensas dores crônicas que tem na coluna.


23/11 - SÁBADO CIVI-CO

CIVI-CO Hall

13h30-15h: exibição do filme “Abe” (1h25m), de Fernando Grostein

15h-16h: Sarau dos Poetas do Tietê

16h-17h: exibição do filme "Repense o Elogio" (48m), de Estela Renner

17h-18h30: exibição do filme "Longe da Árvore" (1h33m), de Rachel Dretzin

Boulevard Virgílio

11h-12h: Oficina de reciclagem com Bispo

14h-15h: Clínica de skate com Social Skate



25/11 - Estratégias para Redução da Violência

09h às 11h - CIVI-CO Hall

Abordando questões como raça, gênero, criminalidade e encarceramento, especialistas em segurança debatem sobre estratégias para reduzir a violência nos âmbitos público e privado. Com: Ana Navarrete, da Rede de Justiça Criminal, Samira Bueno, do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Padre Ticão, Rafael Alcadipani, da FGV, Antonio Junião, jornalista e ilustrador do A Ponte Jornalismo.

Mediação: Bruno Paes Manso

Encerramento: Emerson Ferreira


25/11 - CINE CIVI-CO

12h-12h30 - CIVI-CO Hall

Exibição do curta “Mães livres”, (30m), de Miguel Angel Herreras. O documentário conta histórias de maternidade dentro e fora do cárcere pelo olhar de cinco mulheres que tiveram suas vidas marcadas pela seletividade do sistema de Justiça criminal.


25/11 Realidade Visceral - experiência de realidade virtual

Sala Agir (térreo)

Os espectadores são convidados a participar de uma experiência de realidade virtual que simula uma cela superlotada.

25/11: 9h -13h

27/11: 14h-18h


25/11 Espiritualidade Cívica

20h - CIVI-CO Hall

Encontro com o escritor e teólogo Ed René kivitz

26/11 - ODS 8: Trabalho Decente e Crescimento Econômico

11h às 15h - Brechó Descabide 

27/11 - Painel Economia de Impacto Socioambiental

09h às 11h - CIVI-CO Hall Inscreva-se para participar.

Painel sobre as potências do mercado “prateado”, empreendedorismo negro, economia indígena e impacto ambiental na economia. Com: Adriana Barbosa (Feira Preta); Cléa Kloürï (Hype 60+); Iara Vicente (YBY Festival)



Fique ligado em nossas redes sociais para mais novidades!


386 visualizações0 comentário
  • redação CIVI-CO

Atualizado: 15 de Ago de 2019


"Somos uma potência ambiental. Em todos os nossos biomas temos riquezas inimagináveis que o mundo, e nós mesmos, desconhecemos." A declaração da ex-ministra do meio ambiente Marina Silva aconteceu durante o Encontro Patrimônio Nacional realizado nesta segunda-feira, dia 5 de agosto, no CIVI-CO. O evento promovido pelo Legado para a Juventude Brasileira faz parte de um programa que nasceu em 2013 com o intuito de discutir o papel dos jovens na construção do futuro e o protagonismo deles na mudança geracional. A iniciativa da criação do programa foi da educadora Daniela de Rogatis que na época estava desenvolvendo pesquisas e trabalhos com os jovens das principais famílias empresariais brasileiras sobre os desafios da transformação do século 21. Ela procurou o Presidente Fernando Henrique Cardoso para falar sobre o desejo desses jovens de deixar o país por conta da ausência de lideranças inspiradoras. Marina foi a convidada especial do encontro.

Diante de um público atento, Marina chamou a atenção para a responsabilidade do governo brasileiro na agenda ambiental mundial e a realidade atual. "É muito triste quando vemos uma autoridade não se preocupar com o mundo. Está tendo um processo de minar recursos ambientais. O planeta já está no vermelho em 30 por cento. Conseguimos reverter isso em 2004 em 88 por cento. O Brasil não pode negligenciar na sua agenda de transição a diminuição do desmatamento. Precisamos tomar as decisões políticas, sociais, econômicas necessárias. Nós éramos uma liderança na discussão ambiental do planeta. E a nossa liderança não é de pequena monta."

Marina Silva reforçou o papel fundamental do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais no combate ao aquecimento global. Recentemente, o presidente Jair Bolsonaro demitiu o diretor da instituição, o físico Ricardo Galvão, por não concordar com os dados de desmatamento da Amazônia computados pelo Inpe. "Quando fui ministra houve uma tentativa (de alguns políticos) em desqualificar o Inpe, dizendo que os dados estavam errados. Eu sabia que estavam corretos e eles queriam convencer o presidente de que não. Estamos em recessão, com 13 milhões de desempregados, e o desmatamento aumentou. A gente tem virado uma espécie de pária ambiental. "

Marina frisou que por ser dono da "maior fábrica de água do mundo," o Brasil teria que se posicionar de forma proativa e não defensiva. "O Brasil é uma potência de recursos naturais e agrícola. Temos lições a ensinar! A gente precisa fazer como foi feito nos Estados Unidos. O governo quis investir na indústria do carvão. Houve uma resistência e Trump teve que voltar atrás. O populismo, seja de direita ou esquerda, está preocupado com o ganho imediato. Um modelo de desenvolvimento não muda da noite para o dia. A transição precisa ser feita.  Temos que ter o compromisso ético para fazer essa transição. E isso pode gerar um novo cilco de prosperidade e de empregos para nós e para o mundo. É este patrimônio, este legado, que devemos colocar em prática para construir um mundo melhor."

101 visualizações0 comentário
  • redação CIVI-CO

Neste sábado, dia 06 de julho, o CIVI-CO, em uma parceria inédita com a Yellow, realizou uma ação de mobilidade urbana e social conectando Pinheiros a Paraisópolis. Um grupo formado por diferentes atores da sociedade (empreendedores, empresários, artistas, professores e líderes de coletivos) saiu do bairro situado na zona oeste de São Paulo, onde está localizado o coworking de impacto social, em direção à comunidade que fica na zona sul da cidade.



A abertura do evento foi feita por Ricardo Podval, CEO do CIVI-CO, seguido das falas de Johnny William Cruz Borges, Diretor Geral de comunidade e responsabilidade social da Grow, e o professor Heiko Spitzeck, coordenador do Núcleo de Sustentabilidade da FDC (Fundação Dom Cabral), parceira do CIVI-CO.


"Temos de construir pontes para termos um país mais justo, mais inclusivo." (Ricardo Podval, CEO CIVI-CO)



"O trajeto de Pinheiros para Paraisópolis é curto em distância, mas muito grande na desigualdade social. A ação é o primeiro passo para começarmos a pensar em pontes que diminuam essa desigualdade." (Johnny W.Cruz Borges)


"Quero deixar aqui uma reflexão, você se vê como um cliente da cidade, aquele que só reclama do problema, ou como um bom cidadão, que faz a sua parte?" (Heiko Spitzeck, coordenador do Núcleo de Sustentabilidade da FDC)


Ao lado de Ricardo Podval, Elizandra Cerqueira, presidente da Associação das Mulheres de Paraisópolis, recebe uma cesta de biscoitos das mãos de Raul Matos, CEO e fundador da Biscoitê.


O percurso do trajeto de aproximadamente 10 km foi feito via três diferentes modais: patinete, metrô e bicicleta.



Tendo a mobilidade urbana como base, a ação foi criada com o intuito de conectar pontos e pessoas da cidade com realidades diversas, chamando a atenção para questões como acessibilidade, desigualdade, inclusão, pertencimento e uso dos espaços públicos. Para o time da Yellow, que já opera no Morumbi, a aproximação com Paraisópolis faz parte dos planos de incluir a comunidade na área de atuação da Startup, que recentemente se uniu à Grin, empresa mexicana, para formar o grupo Grow.

A chegada a Paraisópolis, após 1h20m de percurso, foi comemorada como a primeira de várias ações para despertar o olhar para a potência de espaços invisibilizados por parte da sociedade e poder público. A favela, vizinha do Morumbi, um dos bairros mais nobres da capital paulista, oferece uma programação artística, cultural e gastronômica riquíssimas. O circuito das artes começou no Ballet de Paraisópolis com a apresentação de coreografias de ballet clássico e contemporâneo.




O passeio seguiu com visitas ao castelo de pedra do artista plástico e jardineiro, Estevão Conceição, conhecido mundialmente como o Gaudi brasileiro, e o artista plástico Berbela, que cria peças incríveis a partir da sucata.

"Hoje tive a felicidade e a sorte de conhecer a Paraisópolis por dentro, de perto. Conheci e escutei histórias de pessoas mais que especiais, que atuam e transformam o ambiente que vivem. Inspirador! Nas fotos, a casa impressionante de Estevão, jardineiro que criou sua própria utopia. Depois foi a vez do pessoal do ballet de Paraisópolis com sua luta linda e necessária com as criaças da comunidade! Teve também a rádio comunitária Nova Paraisópolis, logo depois conhecemos o Bistrô Mãos de Maria da União de moradores , por fim o trabalho do artista Berbela. Obrigado civi-co e yellow pelo convite nessa imersão, foi um dia especial." (Guilherme Kramer, artista visual, em seu instagram)

O encontro terminou com a famosa feijoada do Buffet Mãos de Maria. O restaurante, inaugurado em 2017 por Elizandra Cerqueira, já conquistou o prêmio da Stop Hunger, uma organização mundial de combate à fome e pelo empoderamento das mulheres. Elizandra, que é a presidente da Associação das Mulheres de Paraisópolis, recebeu a premiação em Paris, ao lado de Gilson Rodrigues, presidente da União dos Moradores e grande apoiador do projeto que inclui a Horta na Lage.




O Circuito CIVI-CO Yellow, edição Paraisópolis, foi mais uma ação alinhada com os ODS, Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU, neste caso, o ODS11: "Como a mobilidade urbana é fundamental para que o indivíduo exerça sua cidadania, a melhoria da oferta de serviços de transporte, com atendimento para todos os tipos de grupos, incluindo os em vulnerabilidade, mulheres, pessoas com deficiência e idosos, é foco da meta 11.2." #issoécivico!


178 visualizações0 comentário

NEWSLETTER civi-co

  • Facebook
  • Instagram
civi-co_branco_1.png