• redação CIVI-CO

Aquecimento Global: projeto de brasileira sobre mudança climática é o mais votado em Boston

Reverter o aquecimento global até 2030 é um dos maiores desafios da agenda de desenvolvimento sustentável da ONU. Lançada em setembro de 2015, o documento reúne 17 temas fundamentais para a construção de um mundo socialmente e ambientalmente sustentável. “Tomar medidas urgentes para combater a mudança climática e seus impactos” é o objetivo número 13 e é este que move a brasileira Cassia Moraes.

Formada em relações internacionais com mestrado em administração pública e desenvolvimento pela Columbia University, Cassia abriu mão de ficar viajando um ano pelo mundo como Gestora de Comunidade do Programa Remote Year. Tudo para defender a causa que é sua paixão. "Eu tinha me inscrito para fazer parte do programa, mas aí vi o filme da Mulher Maravilha e fiquei pensando, ah essa vaga é muito legal, mas não é o meu propósito. Meu propósito é mudança climática." Inspirada por seus amigos, Cassia criou uma plataforma para formar jovens líderes para combater a mudança climática, o Youth Climate Leaders (Jovens líderes do clima). “ Eu tinha vários amigos que estavam procurando emprego na área de mudanças climáticas e não conseguiam ninguém que pudesse passar os contatos da área, o conhecimento e a experiência. Eu estava dando essas dicas e pensei, Por que não transformo isso num negócio social?” E, tal como escreveu o filósofo alemão Johann Goethe, Quando uma criatura humana desperta para um grande sonho e sobre ele lança toda a força de sua alma, todo o universo conspira a seu favor, uma oportunidade apareceu. E Cassia não perdeu tempo.

“Neste momento surgiu um concurso na MIT (Instituto de Tecnologia de Massachussets) em Boston. Falei com a Evelyn, que é cofundadora do YCL, para participarmos na categoria mudanças de comportamentos no combate o aquecimento global. Foi o projeto mais votado! E foi o que o júri escolheu como o melhor também.” Empolgadas com o resultado, e com a ideia já formatada e várias pessoas demonstrando interesse, Cassia e Evelyn resolveram fazer uma espécie de piloto, antes mesmo do pitch (apresentação do projeto) marcado para outubro, quando irão concorrer com os vencedores de outras categorias, ao prêmio de US$ 10 mil dólares.

A ideia do piloto deu super certo, pelo menos a primeira parte dela. A plataforma recebeu 500 inscrições, vindas de 95 países. Foram selecionados 27 jovens de 5 continentes. "Em nenhum programa que eu tenha participado vi tanto interesse de pessoas do mundo inteiro. Isso mostra que a gente acertou, que existe esta demanda." Os finalistas vão participar de uma imersão que acontecerá de julho a agosto em Paris e no Quênia. Metade do grupo pode pagar a viagem, que inclui uma taxa no valor de US$ 3.000 dólares, mais as passagens de ida e volta. Mas para que a outra metade, a que não tem recursos, possa fazer parte do programa, Cassia está buscando o apoio da iniciativa privada e de organizações. "Essas pessoas já estão fazendo um super trabalho em seus países. Eu chamo eles de X-men das mudanças climáticas. Se a gente conectá-los, dar ferramentas, eles podem fazer muito mais. Mesmo muito preparados, alguns não conseguem oportunidade de trabalho e nem financiamento para suas iniciativas. Então é o que queremos, dar uma primeira oportunidade para alguém que merece muito."

Se você quiser apoiar essa rede de jovens dispostos a encontrar soluções para o aquecimento global, ou conhecer mais sobre o projeto, acesse o link do Youth Climate Leaders. "Em outubro vou apresentar o projeto em Boston, no MIT. Se a gente tiver um case (um produto testado) para apresentar, temos chance de conseguir um financiamento porque vão ter investidores no evento." diz uma confiante Cassia. Até lá, o desafio é realizar o projeto piloto. Se depender do desejo e da determinação da "Mulher Maravilha" da luta contra a mudança climática, o sucesso está garantido.

YCL é uma iniciativa residente do CIVI-CO

0 visualização
civi-co_branco_1.png