• redação CIVI-CO

Parceria entre CIVI-CO e YELLOW promove mobilidade urbana e social

Neste sábado, dia 06 de julho, o CIVI-CO, em uma parceria inédita com a Yellow, realizou uma ação de mobilidade urbana e social conectando Pinheiros a Paraisópolis. Um grupo formado por diferentes atores da sociedade (empreendedores, empresários, artistas, professores e líderes de coletivos) saiu do bairro situado na zona oeste de São Paulo, onde está localizado o coworking de impacto social, em direção à comunidade que fica na zona sul da cidade.



A abertura do evento foi feita por Ricardo Podval, CEO do CIVI-CO, seguido das falas de Johnny William Cruz Borges, Diretor Geral de comunidade e responsabilidade social da Grow, e o professor Heiko Spitzeck, coordenador do Núcleo de Sustentabilidade da FDC (Fundação Dom Cabral), parceira do CIVI-CO.


"Temos de construir pontes para termos um país mais justo, mais inclusivo." (Ricardo Podval, CEO CIVI-CO)



"O trajeto de Pinheiros para Paraisópolis é curto em distância, mas muito grande na desigualdade social. A ação é o primeiro passo para começarmos a pensar em pontes que diminuam essa desigualdade." (Johnny W.Cruz Borges)


"Quero deixar aqui uma reflexão, você se vê como um cliente da cidade, aquele que só reclama do problema, ou como um bom cidadão, que faz a sua parte?" (Heiko Spitzeck, coordenador do Núcleo de Sustentabilidade da FDC)


Ao lado de Ricardo Podval, Elizandra Cerqueira, presidente da Associação das Mulheres de Paraisópolis, recebe uma cesta de biscoitos das mãos de Raul Matos, CEO e fundador da Biscoitê.


O percurso do trajeto de aproximadamente 10 km foi feito via três diferentes modais: patinete, metrô e bicicleta.



Tendo a mobilidade urbana como base, a ação foi criada com o intuito de conectar pontos e pessoas da cidade com realidades diversas, chamando a atenção para questões como acessibilidade, desigualdade, inclusão, pertencimento e uso dos espaços públicos. Para o time da Yellow, que já opera no Morumbi, a aproximação com Paraisópolis faz parte dos planos de incluir a comunidade na área de atuação da Startup, que recentemente se uniu à Grin, empresa mexicana, para formar o grupo Grow.

A chegada a Paraisópolis, após 1h20m de percurso, foi comemorada como a primeira de várias ações para despertar o olhar para a potência de espaços invisibilizados por parte da sociedade e poder público. A favela, vizinha do Morumbi, um dos bairros mais nobres da capital paulista, oferece uma programação artística, cultural e gastronômica riquíssimas. O circuito das artes começou no Ballet de Paraisópolis com a apresentação de coreografias de ballet clássico e contemporâneo.




O passeio seguiu com visitas ao castelo de pedra do artista plástico e jardineiro, Estevão Conceição, conhecido mundialmente como o Gaudi brasileiro, e o artista plástico Berbela, que cria peças incríveis a partir da sucata.

"Hoje tive a felicidade e a sorte de conhecer a Paraisópolis por dentro, de perto. Conheci e escutei histórias de pessoas mais que especiais, que atuam e transformam o ambiente que vivem. Inspirador! Nas fotos, a casa impressionante de Estevão, jardineiro que criou sua própria utopia. Depois foi a vez do pessoal do ballet de Paraisópolis com sua luta linda e necessária com as criaças da comunidade! Teve também a rádio comunitária Nova Paraisópolis, logo depois conhecemos o Bistrô Mãos de Maria da União de moradores , por fim o trabalho do artista Berbela. Obrigado civi-co e yellow pelo convite nessa imersão, foi um dia especial." (Guilherme Kramer, artista visual, em seu instagram)

O encontro terminou com a famosa feijoada do Buffet Mãos de Maria. O restaurante, inaugurado em 2017 por Elizandra Cerqueira, já conquistou o prêmio da Stop Hunger, uma organização mundial de combate à fome e pelo empoderamento das mulheres. Elizandra, que é a presidente da Associação das Mulheres de Paraisópolis, recebeu a premiação em Paris, ao lado de Gilson Rodrigues, presidente da União dos Moradores e grande apoiador do projeto que inclui a Horta na Lage.




O Circuito CIVI-CO Yellow, edição Paraisópolis, foi mais uma ação alinhada com os ODS, Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU, neste caso, o ODS11: "Como a mobilidade urbana é fundamental para que o indivíduo exerça sua cidadania, a melhoria da oferta de serviços de transporte, com atendimento para todos os tipos de grupos, incluindo os em vulnerabilidade, mulheres, pessoas com deficiência e idosos, é foco da meta 11.2." #issoécivico!


178 visualizações
civi-co_branco_1.png