• redação CIVI-CO

Quem quer ser um educador antirracista?

Atualizado: Out 18




Foto: Reprodução


Você trabalha a cultura afro-brasileira na escola?


A Lei nº 10.639/03, determina o ensino da História e da Cultura Africana e Afro-brasileira em escolas públicas e privadas do país. Desde 2004 este ensino deve abranger as dimensões culturais, sociais, históricas dentre outras dimensões da população negra e sua história.


É fundamental que a escola seja antirracista, tanto no que se refere ao currículo como na preparação e formação do corpo docente, que precisa estar apto para este trabalho.


Preparamos 4 dicas para trabalhar a cultura afro- brasileira na escola (e também em casa). Mas lembre-se: Somente realizar algumas atividades e brincadeiras não basta para abranger todas as complexidades e atenção necessária a este tema. Estas dicas são para apoiar a escola e a família mas, precisamos saber que este é um trabalho que demanda constância, coerência, intencionalidade, estudo e conhecimento.


1 - Brincadeira - Desenhando um baobá. O baobá é uma árvore africana com uma forma bem peculiar e aparece em várias lendas, contos e tradições africanas. Enquanto aprendem a desenhar o formato da árvore, as crianças podem ouvir histórias sobre ela.


2- Música - Que tal aprender e dançar ao som da música africana “Kokoleoko” tradicional de Gana. Gostosa de cantar, ela é uma ótima dica para conhecer um pouco mais sobre a cultura de Gana. Inclusive, para quem ama chocolate, sabiam que Gana é o segundo maior produtor mundial de cacau, atrás somente da vizinha Costa do Marfim?


3- Livros - Amoras - Do rapper @emicida, o livro aborda a religião e a cultura afro, além de assuntos como preconceito, representatividade e autoestima.

Nuang - caminhos da liberdade - da escritora e educadora Janine Rodrigues, fala sobre liberdade, coragem, a força do povo Banto e a história do povo negro antes e depois da escravização.


4- Formação - Trilhas da Diversidade - Formação prática e teórica, pautada em tecnologias sociais e com foco em letramento racial e educação antirracista, educação antibullying, equidade de gênero, educação antipreconceito e educação baseada na cultura do afeto. São pilares da nossa formação: Os pilares da UNESCO

Os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS)

A Lei 13.185/2016 (antibullying)

A Lei 10.639/03 (antirracista e )

A LDB – Leis de diretrizes básicas da educação

A Declaração de Salamanca

Aspectos Jurídicos e fundamentação legal além da BNCC (no caso de escolas).


A formação está voltada para escolas e empresas. Para saber mais conheça a Piraporiando


Acesse também o Infográfico da Piraporiando: “Uma educação baseada no afeto”


4 visualizações0 comentário
civi-co_branco_1.png